O Município

Dados Municipais


Localiza-se a uma latitude 10º35'36" sul e a uma longitude 36º56'25" oeste, estando a uma altitude de 79 metros. Sua população estimada em 2004 era de 15 352 habitantes.

O município localiza-se na região do Vale do Contiguiba, a 54 quilômetros da capital do estado de Sergipe, no sentido norte, próximo ao litoral. Possui uma área de 374,3 quilômetros quadrados.

 

 

Turismo

ARTESANATO: O artesanato de Japaratuba é conhecido no Brasil e no exterior pela qualidade, preço e diversidade. É uma tradição passada de pai para filho. Os artesãos produzem peças das mais variadas como telas, rendas, tricôs, crochês, bordados, rendendê, ponto de cruz, crivo e linho, tecelagem, rede de pesca e jereré. Alguns artesãos se destacam pelos trabalhos em madeira,tabua, bambu e cipó, criando bolsas, vassouras, cestos, chapéus, covos e peças com material reciclado. RELIGIOSIDADE: Por sua miscigenação (Europeu-Ameríndio-Negro), é visível o Sincretismo Religioso, possuindo vários e diversos templos, dentre os quais destaca-se a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Saúde, avistada desde a BR-101,imponentemente edificada lá no alto. É o maior monumento artístico e cultural da cidade. Inaugurada em 1882, foi erguida nas santas missões, quando os missionários iam até as pedreiras e voltavam em procissão, trazendo pedras para a construção da Igreja.

PEDREIRAS: As pedreiras ainda são bastante utilizadas na região e em uma delas estão sendo encontradas verdadeiras preciosidades da paleontologia: fósseis marinhos que, segundo estudos, têm cerca de 100 milhões de anos. Uma curiosidade é que esses mesmos fósseis foram encontrados em Guiné Bissau, do outro lado do Atlântico, na África. A semelhança é mais uma prova de que os continentes estavam unidos nessa época e que no local havia mar.

ALTO DO LAVRADIO: É o ponto mais elevado da cidade. A população aborígene vivia às margens do Rio Japaratuba. Em 1868 alguns frades, entre eles Frei Antônio da Piedade, tentaram catequizá-los. Por volta de 1704, chegaram àquelas terras religiosos da Irmandade dos Carmelitas, liderados pelo Frei João da Santíssima Trindade. Logo, houve uma epidemia de varíola e os índios, religiosos e colonos sobreviventes mudaram-se para o Alto do Lavradio. Os religiosos ergueram um convento e algumas casas foram construídas, surgindo a Missão de Japaratuba, que deu origem à atual cidade. Sitiantes renomearam o local por Sitio Cocoroeste como é, hoje, também conhecido.

BANHO DO PRATA: Nos fins de semana, um dos pontos de encontro é o Banho do Prata (Rio Japaratuba Mirim), a seis quilômetros (06Km) da sede: uma nascente de águas cristalinas. Recomenda-se saborear a moqueca de peixe em um dos quiosques ou acampar com amigos, familiares e fazer piquenique. As águas do Prata também abastecem a cidade e logradouros da região.

GRUTA DO CAPIM BRANCO: Localizada próximo ao Povoado São José da Caatinga, a Gruta do Capim Branco serviu de refúgio para os índios das redondezas no período da colonização dessas terras. O local também é conhecido como Gruta da Mulata. É muito interessante observar as raízes que caem dentro da caverna, com um formato que mais parece um provador de roupas. A luz que vem da superfície provoca um aspecto ainda mais surpreendente.

 

Memorial Histórico e Cultural Doutor Otávio Acciole Sobral

Está instalado em um casarão do final do século XIX na Praça da Matriz (PRAÇA PADRE CAIO SOTER LOUREIRO TAVARES) e foi fundado em 1996. Interiormente, é decorado com pinturas que retratam paisagens rurais (afresco) de motivos diferenciados em cada ambiente. Nele, encontramos um acervo de peças religiosas e das famílias dos antigos engenhos, fotos antigas da cidade, personalidades, quadros e roupas que representam as manifestações folclóricas. O Memorial está aberto para visitação de segunda a sexta-feira, das 8h às 13h.


FAQ - Perguntas Frequentes
Permite que você cidadão tire todas as suas dúvidas referentes a transparência municipal.
  FAQ